Dica da amiga (Fernanda Caiuby)

A ALEGRIA DE LER EM INGLES

Sendo a língua franca do mundo moderno, ler em inglês é uma porta para nosso grande planeta. Este é o caso de poder ler e apreciar o livro YOU ARE WHAT YOU SPEAK (você é o que fala), do autor americano Robert Greene. Um pouco sobre ele: jornalista da revista britânica The Economist, já tendo escrito para o jornal The New York Times, entre outras publicações importantes. Especialista em relações internacionais, ele fala nove línguas e da sua excruciante experiência de aprender tantos idiomas, escreveu um livro muito interessante e didático sobre a importância dos diferentes idiomas, como as línguas são usada por políticos mal intencionados e principalmente, sobre a impossibilidade de se regular o que um povo fala ou não.

Menciona fatos históricos como a ditadura de Francisco Franco na Espanha e sua inútil tentativa de abolir galego, catalão e euskera do cenário espanhol. Tentou e não conseguiu. Descreve também as pífias iniciativas do governo frances ao tentar abolir palavras inglesas do quotidiano daquele país. Aponta ainda para o fato de sempre, em qualquer país, se lamentar a queda de qualidade nos idiomas locais. Tipo: ahhh…. o português do Brasil já não é o mesmo. Não é e não será daqui a 100 anos. Línguas são dinâmicas, altamente mutáveis e se houvesse uma máquina do tempo e pudéssemos visitar o antigo Egito, nada entenderíamos do que falavam os faraós. E os livros de Shakespeare? As versões atuais são modificadas, mais palatáveis e compreensíveis para quem fala o inglês atual. Seus originais são de quase impossível compreensão. E por aí vai!

Por que diferentes sotaques nos irritam? Dialetos são menos válidos do que idiomas oficiais? Por quê? Existem línguas feia ou bonitas? Melhores ou piores? O mundo seria melhor sem a Torre de Babel? Por que línguas morrem e outras não?

Tantas questões interessantes nos fazem pensar que o que aprendemos na escola, sobre idiomas, pode ser correto, mas línguas representam muito mais do que somente um conjunto de palavras e formas de comunicação. São também poderosas ferramentas políticas e suas mudanças, inevitáveis.

Fica aí a dica para as editoras brasileiras: corram para traduzir este livro precioso, uma mistura fácil e fascinante sobre lingüística, história, geografia e principalmente, sobre tolerância.

Anúncios

1 comentário

O que você acha? Deixe uma resposta.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s