“Little girl lost”

Não me pergunte por que motivo eu gosto tanto da Drew Barrymore. Eu sequer a considero uma grande atriz! Então, sem motivos racionais aparentes, gosto da atriz norte-americana desde que ela apareceu em “E.T”.

Quando eu era adolescente, lia avidamente as notícias de internações, filmes do tipo “B” e toda sorte de confusões em que ela se envolvia. Respirei aliviada quando, já adulta, Drew livrou-se das drogas e iniciou uma bem-sucedida carreira.

Little girl lost

Foto por Júlia A.O.

Essa minha avidez em saber mais sobre a fase de “o passado te condena” fez com que eu superasse minha aversão por biografias e lesse “Little girl lost”, em que Drew conta o que significa uma criança viciar-se em bebida aos 9 anos de idade e internar-se em uma clínica de reabilitação de drogas aos 13, ao mesmo tempo em que convivia com figurões do cinema americano.

Talvez não se tratasse de uma leitura muito apropriada para uma adolescente de 14 anos… Por outro lado, considerando que sempre fui bem-comportada, a rebeldia extrema retratada no livro serviu para saciar a curiosidade sem que eu precisasse de fato chegar perto do “lado negro” da vida.

Anúncios

O que você acha? Deixe uma resposta.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s