“Tudo o que nunca contei”

Comecei me apaixonando pela capa do livro. E terminei apaixonada pela história – que é triste e envolvente.

Uma experiência muito pessoal e que me encantou em relação à esta leitura foi que eu comecei a enxergar os personagens com minha recente “visão de mãe”, que tem permeado praticamente quase todos meus sentidos, e quando dei por mim, também estava lendo os acontecimentos com minha “visão de filha”. Foi tão revelador e tão satisfatório viver essas duas sensibilidades no mesmo livro!

nuncacontei

Na trama criada por Celeste Ng, não há um personagem principal. Os cinco integrantes da família tem suas vozes e percepções alternadas o tempo todo e cada um deles é parte essencial da narrativa.

Temos o pai, James, filho de imigrantes chineses, cujo maior sonho é se sentir incluído na sociedade, não ser sempre o diferente nos ambientes que frequenta. Temos a mãe, Marilyn, com aparência norte-americana típica, cujo sonho é o inverso: se destacar, não ser “somente” uma dona de casa.

Dos filhos, temos: Nath, o mais velho e Hannah, a mais nova, ambos fisicamente parecidos com o pai chinês e ignorados pelos pais, em especial Hannah, que também é ignorada pelos irmãos. Por fim, Lydia, cujos traços não-chineses a tornam a preferida do pai, pela possibilidade de ter amigos, e cuja inteligência a torna a preferida da mãe.

Na primavera de 1977, Lydia aparece morta. Toda a estrutura familiar rui. Aos poucos, o leitor vai entendendo qual era essa estrutura familiar, de onde ela veio, como cada um se adaptou – ou não – a ela.

A investigação da morte (acidente, homicídio ou suicídio?) é o que menos importa. A relevância está nos laços familiares, nos sonhos frustrados, na dificuldade de comunicação, nas palavras não ditas – no que nunca nenhum deles contou ao outro.

Tudo isso apresentado de forma sensível, fácil de ler, cativante. Você sente a frustração de cada um, você entende as motivações de cada um. Eu queria entrar no livro e dar um abraço em cada um deles.

Um livro precioso que merece todos os méritos de ser bestseller.

3 comentários

O que você acha? Deixe uma resposta.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s