comida

Nem parece que é no shopping

Fiquei curiosa para saber o que estava por detrás de todo o hype em torno da inauguração da filial do restaurante Manioca, no shopping Iguatemi SP.

É tudo isso e muito mais.

O fideuá de camarão foi um dos melhores pratos que já comi na vida, só para dar uma noção da gostosura das receitas da chef Helena Rizzo.

Além disso, o lugar é lindo, com vegetação e amplas janelas, que fazem com que os comensais se esqueçam de que estão dentro de um shopping. E mais ainda: o couvert é um viciante polvilhão. E mais outro: o serviço é simpático.

foto por Júlia A. O. - infelizmente não tirei foto do meu prato, mas este é maravilhoso também

foto por Júlia A. O. – infelizmente não tirei foto do meu prato, mas este é maravilhoso também

Curry indiano x tailandês

O titulo é para chamar atenção. Não vou tecer uma longa lista comparando o curry indiano com o tailandês. Os dois são deliciosos! Deixo para você a tarefa de experimentar ambos e dar seu veredito.

Para o curry indiano, eu recomendo o Tandoor. Eu amava o Govinda, tradicional restaurante indiano no Brooklin, que fechou. Então mudei para um restaurante no shopping Morumbi, que também fechou. Alguém me explica por que na megalópole São Paulo, com espaço para tantos gostos, os restaurantes indianos não estão indo bem? Agora descobrimos o Tandoor, no Paraíso (R. Dr. Rafael de Barros, 408). O lugar não é muito bonitinho, mas a comida…nhaaammmmm! E, o que achei mais curioso, vários indianos frequentam o lugar!

Foto por Cristiano Cittadino Oliveira

Foto por Cristiano Cittadino Oliveira

Para o curry tailandês, a dica da minha amiga Flavia: Namga, em Perdizes (Rua Apiacás, 92). O curry indiano me é mais conhecido e o tailandês é mais perfumado. Tem, tem, tem, tem que pedir o arroz de jasmim com leite de coco. De matar de bom.

Foto por Cristiano Cittadino Oliveira

Foto por Cristiano Cittadino Oliveira

Boa disputa!

Jantar dos deuses

Você quer impressionar alguém?

Esse alguém tem que apreciar comer bem. Tem que ser daquelas pessoas que já experimentou bastante  e não se deslumbra com nada menos que originalidade e frescor. Que exige uma mistura de sabor e aroma que atiça os sentidos. Que faça jus à expressão “comer de joelhos”.

Leve esse alguém ao Chef Vivi.

chef vivi

A chef só trabalha com ingredientes frescos e da estação, o que significa que o cardápio varia habitualmente.

Uma experiência para lá de especial.

Vá lá: Rua Girassol, 833, Vila Madalena.

Revista do Jamie Oliver

Quem me conhece sabe do desastre que eu era na cozinha. É piada recorrente o dia em que estávamos no churrasco, me ofereci para ajudar e quando me pediram para fazer o vinagrete, olho em desespero: “não sei picar uma cebola!”.

Fui empurrando minha inabilidade o quanto tempo me foi possível. Quando eu estava poucos meses de me casar, bateu um desespero! “como vou ter minha casa se não entendo nada de cozinha?”

Minha mãe até tentou, mas eu fugia das aulas domésticas. Até que me matriculou em um curso de comidas “básicas”, do dia-a-dia, e perdi o medo.

Se eu cozinho atualmente? Raramente. Mas pelo menos sei o que comprar no supermercado! Ha!

O que me falta é criatividade. Daí que os livros de culinária são extremamente necessários para que não tenhamos todo santo dia arroz, feijão, legume e carne/frango grelhado.

Foto por Júlia Antunes Oliveira

Quando fui visitar meu irmão em Londres, em 2010 e 2011, não somente eu fiquei alucinada com os restaurantes do Jamie Oliver (ingredientes mais frescos não há!), como tive a sorte de poder comprar várias revistas do chef. A “Jamie Oliver magazine” tem fotos e-s-p-e-t-a-c-u-l-a-r-e-s e receitas sempre saborosas do engajado, fofo e talentoso cozinheiro.

Para quem lê em inglês ama cozinhar e está bem das finanças, pode ser assinante da revista! Acabei de descobrir que entregam no Brasil:

https://jamie.subscriptions-mps.co.uk/Subscription/Personal

Ou você poder viajar várias vezes para Londres. 😉

Ou, mais barato, acessar o super completo e divertido site do Jamie Oliver:

http://www.jamieoliver.com

Fotos por Júlia Antunes Oliveira

Fotos por Júlia Antunes Oliveira

Mexicaninho

Bateu uma vontade louca de comer comida mexicana. Minha opção costumeira é o El Kabong, lugar que foi palco de muits conversas e risadas com minhas amigas, na época da faculdade.

Vamos variar, por favor! – gritou uma vozinha na minha cabeça.

mexicanaEntão meu marido sugeriu um restaurante na Vila Madalena que tinha acabado de conhecer, o Dedo de la chica. O ambiente é bem bacana, colorido, aquele kitsch que caracteriza o México típico (eu adoro!). Luzinhas dão a sensação de que você está em outro lugar que não São Paulo.

A comida é ok. O guacamole é ótimo, os totopos também, mas o resto é mediano. Voltaria mais pelo ambiente divertido do que pela comida.

Vá lá: Rua Fidalga, 32, Vila Madalena

Opa, um cupcake…

Difícil eu resistir a um bolinho e suas variações… A lojinha com decoração de super-heróis Marvel, bem colorida, é uma atração à parte. Wondercakes segue o modelo americano destes bolinhos que, hum, são muito gostosos no meio de uma tarde em que você se permitiu um deslize na sempre presente dieta…

Foto por Júlia A. O.

Foto por Júlia A. O.

Vá lá: Rua Augusta, 2542 e outros endereços indicados no site deles

É prá já!

Comida feita em casa é milhões de vezes mais gostosa que comida pronta. Só que meus dotes culinários são limitados…

 Imagina que incrível: um potinho com todos os ingrediente para fazer cookie, brownie ou biscoito. Ingredientes de qualidade. Gostosos, mas saudáveis. Só pela proposta e pela aparência, os potinhos da Chez Moi Chez Toi já me conquistaram.

Foto por Júlia A. O.

Foto por Júlia A. O.

Depois que eu experimentei os cookies de gotas de chocolate e avelã lascada…hummmm!

Prático ter um potinho para quando aparecer uma visita inesperada, dar uma larica fora de hora, você tiver que entreter uma criança ou quiser uma atividade para uma tarde ociosa.

Agora estou curiosa para testar as outras opções da marca!

Foto por Júlia A. O.

Foto por Júlia A. O.

Carne trançada

Na fase de conhecer novos restaurantes na minha querida São Paulo, descobri mais uma pérola: o Beato. Pequeno e charmoso, ele oferece pratos muito bem executados. Os restaurantes em Sp são caros, mas pela qualidade da comida, não me senti “roubada”.

Fonte 1

Fonte 1

Destaque especial para o “shoulder” – uma carne para lá de saborosa, em forma de trança (como fazem isso? Adorei o visual!) e para o brie com crosta de castanha de caju e mel trufado. Como os pratos não são gigantes, ainda sobra um espacinho para dividir uma sobremesa – adorei o trio de mousse de chocolate (tem um nome mais bacaninha, que eu me esqueci…).

Vá lá: Rua  dos Pinheiros, 174.

Paninis

Graças às partidas de cartas que o conde inglês Sandwich não queria interromper de jeito nenhum, hoje faço uso costumeiro dos sanduíches na hora do jantar, livrando-me da tarefa de cozinhar.

Foto por Júlia A. O.

Foto por Júlia A. O.

Para um sanduíche de ingredientes mais requintados do que aqueles que tenho na minha casa, minha amiga me levou para conhecer o Brera, dedicado aos paninis. Tudo muito saboroso e bem-feito, num micro ambiente agradável e de decoração bacaninha.

Só não vá morrendo de fome, que a porção é para estômagos controlados.

Fica na Rua Min. Rocha Azevedo, 1068, Jardins, SP.

Massa clássica no centro de SP

Como tem me faltado tempo para ler e comer é uma atividade da qual não se pode esquivar, segue mais uma dica de restaurante.

O centro de São Paulo possui todas as complicações conhecidas dos paulistanos: dificuldade de acesso, sujeira, trânsito, crime, etc. E guarda, ao mesmo tempo, prédios lindos (uma pena que mal cuidados) e restaurantes clássicos deliciosos.

Um desses é o Piero no Pateo do Colégio, ao lado do, como se deduz pelo nome, Pátio do Colégio. Uma mussarela de búfula no azeite de entrada, uma massa saborosa… Você sai com sono devido a tanto carboidrato.

O corpo tem sido mais bem tratado que a mente, como vocês podem ver.

Fonte 1

Fonte 1