crônicas

“Coisas da vida”

Martha Medeiros fala direto ao meu coração. Nem sempre me sinto o que ela retrata em suas crônicas, mas por vezes me pego pensando “é assim mesmo, também me questiono sobre isso, é desse jeito que me sinto“.

Não sou a maior fã de livro de crônicas. Primeiro, porque acaba rápido. Em segundo lugar, porque eu gosto de me envolver com uma história e com ela conviver por dias, semanas. Com crônicas, isto não é possível.

A Jornalista e escritora Martha Medeiros merece uma exceção. “Coisas da vida” reúne seus textos sobre assuntos aparentemente prosaicos e que revelam muito da complexidade do ser humano. Frustração, desejo de ter filhos, ânsia por dinheiro… O dia-a-dia.

Anúncios

Dica da amiga (Andréia C. da Silva)

LIVRO: “Anjo de quatro patas: a verdadeira amizade entre um homem e seu cachorro” – Walcyr Carrasco – São Paulo: Editora Gente, 2008

ESTILO: Não ficção

TEMA: O tema e a capa já sugerem que o livro é para quem gosta de animais, e sabe que com eles temos muito que aprender. É uma mistura de fatos reais, um pouco de ficção, muita emoção e diversão. O livro retrata o companheirismo entre Uno, um cachorro da raça husky e seu dono, o próprio autor.

PORQUE VALE A PENA LER: Sou bem suspeita em falar, amo animais. O livro é uma lição de vida, nos mostra que realmente o bichinho é companheiro para todas as horas e mesmo quando tudo parece um silêncio sem fim, sempre terá uma “abanada” de  rabo que te mostra o sopro da vida.
O livro mostra experiências onde ter a companhia de um cachorro pode ser o bálsamo para uma dor, o start para muitas risadas e “sexto sentido” para algumas ocasiões.
Como o próprio Walcyr descreve: “Entre mordidas e lambidas, você irá rir e se emocionar com as aventuras desse anjo de quatro patas que renovou a rotina e os sentimentos de seu dono.”
Leitura rápida e muito gostosa.

“O que os chineses não comem” – Xinran

Geralmente não gosto de livros com artigos ou contos porque a mágica acaba logo. Leio rápido, por isso, nada como um livro com centenas de páginas…!

Como toda regra tem sua exceção, eu devorei o livro “O que os chineses não comem”, com uma coletânea de crônicas escritas pela chinesa Xinran na época em que ela trabalhou num jornal em Londres.

Um relato de algumas das muitas facetas da China, que surpreende pela constatação da força que os costumes tem na formação de um povo.

(foto por Cristiano Oliveira)